O HINDENBURG - Nova Jersey, 6 de Maio 1937

O Hidenburg era um dos melhores transportes aéreos da Aviação Nazi Alemã. Era suposto representar a grandeza do Reich Alemão e o seu líder, Adolfo Hitler. No dia 6 de Maio de 1937, o Hindenburg regressava à América, vindo de Frankfurt (Alemanha), numa das suas atravessias transatlânticas. Amigos e familiares aguardavam a chegada dos passageiros em Lakehurst Nova Jersey.
O Jornalista Howard Morrison em representação da sua rádio, estava a gravar o acontecimento para mais tarde o poder transmitir. O dia estava chovoso e já se tinham registado trovoadas. Morrison estava a gravar uma pequena informação sobre o tempo, o Dirigivel e o que seria necessário para que o Hindenburg pousa-se em segurança. À medida que o Dirigivel se apróximava e já a uma altura de 300 pés Morrison continuava a sua reportagem descrevendo a aterragem. quando subitamente ele explode em chamas, em pleno voo. Morrison fica chocado, após uma pequena pausa, o repórter continua a relatar toda aquela tragédia. Enquanto retiram as vitimas, os sobreviventes são entrevistados.
Vivia-se o melhor das noticias radiofónicas, acontecimentos relatados no exacto momento em que ocorrem. A reportagem é emitida para os lares dos ouvintes e assiste-se a um sentimento de dor pelas mortes e pelos feridos.
Este acontecimento reflectiu o futuro das transmissões radiofónicas imediatamente antes e durante a II Guerra Mundial quando
os Murrow Boys e outros iriam trazer a guerra para a América através das ondas de rádio.
Este acontecimento não foi para o ar ao vivo, mas foi transmitido mais tarde. Nesta época as reportagens de rádio sobre acontecimentos, eram sempre transmitidas ao vivo, já que as estações de rádio tinham políticas que proibiam o uso de material gravado excepto para efeitos sonoros. Mas Howard Morrison, o jornalista, não estava lá para fazer a reportagem do acidente, logo não tinha equipamento nem meios para transmitir em directo. Pelo contrário, ele encontrava-se no local por ordem da sua estação de rádio, WLS, de Chicago, para gravar uma reportagem sobre o "Zepplin" Hindenburg
No mesmo dia, Morrison e o seu engenheiro de som, Charlies Nehlsen regressaram a Chicago com as cópias. Mas só na manhã seguinte é que algumas partes da gravação foram transmitidas na WLS. Não se conhecem registos da primeira vez que foi transmitido pela NBC. Sabe-se que pelo menos cinco minutos da gravação foram transmitidos no dia 7 de Maio, pelas 11.38, na zona de Nova Iorque.
Só mais tarde, nesse dia, é que transmitiram a reportagem completa, para uma audiência nacional. Esta foi uma das poucas vezes que as estações de rádio autorizaram que uma gravação de um acontecimento fosse transmitido.
Pode escutar esta gravação cedida pelo amigo Sérgio Sousa, um relato impressionante em que até o próprio repórter Morrison não conteve a sua emoção.
7' 04'' - 933kb